segunda-feira, 15 de julho de 2013

Gestão Empresarial

Gestão empresarial
Gestão Empresarial

Gerenciar uma micro e pequena empresa (MPE) é uma atividade complexa. Uma atividade complexa é aquela que exige interação entre pessoas que tem pontos de vistas diferentes sobre o mesmo tema e multidisciplinaridade, ou seja, conhecimento em várias áreas do conhecimento. A necessidade da interação está motivada pelo fato do gerente ter que lidar com diversas atividades na empresa. Essas atividades são executadas por supervisores, coordenadores, engenheiros, técnicos e operadores, que apresentam pontos de vistas diferentes sobre a mesma temática. Assim o papel do gerente é fazer com que pessoas com diferentes percepções sobre a mesma temática consigam compreender os objetivos das suas atividades no contexto da empresa e das suas estratégias. O papel do gestor é nivelar o entendimento.

Em função da necessidade de se desenvolver ferramentas que possam auxiliar o gestor e seus colaboradores são encontrados disponíveis, pelo menos na amazona, mais de 400.000 títulos de livros que tratam o tema. Edward Deming (1950) desenvolveu uma forma de reduzir a complexidade das empresas quando propôs o modelo de empresa estruturada em processos. Um processo é um conjunto de atividades capazes de transformar as entradas (solicitações) em saídas (serviços e/ou produtos). A identificação de todos os processos da empresa torna possível a compreensão, por parte de todos, de quais são os objetivos de seu trabalho. Em conjunto com a definição de cada processo são identificados os seus indicadores de controle que permitem avaliar o desempenho e indicar onde aportar recursos para melhorar o desempenho e com isso a competitividade.

São os processos que permitem ao gerente ter uma compreensão completa de forma simples das empresas que gerem. A partir dessa configuração o seu papel é de pilotar a empresa corrigindo-a para onde se deseja chegar. Daí em função de uma forma relativamente simples de estruturar a empresa, estaríamos resolvendo o problema da sua complexidade. Assim não caberia mais as empresas apresentarem problemas em suas estruturas de organização. O fato é que as pesquisas realizadas pelo SEBRAE (2011) indicam que 83% das MPE pesquisadas tem baixo desenvolvimento nas suas estruturas de organização ou processos. Em parte, isso pode ser justificado pela falta de formação ou experiência do gestor na área de administração. Muitos dos empresários que iniciam os seus negócios não têm noção alguma de como gerir ou a clara percepção dos passos seguintes. Poucos elaboram um plano de negócios e estabelecem um planejamento estratégico que e a base da construção de uma empresa. Até pouco tempo boa parte dos empresários tinham mais de 40 anos e haviam sido demitidos de seus empregos e tinham dificuldades em realocação no mercado de trabalho. Atualmente mais de 40% dos novos empresários são jovens recém-saídos das universidades com algumas ideias para iniciarem um negócio. Muitos desses os principais investidores são os pais e os sócios são amigos na mesma situação. Tão logo exista uma sinalização clara de um emprego poucos resistem a se manterem nos objetivos e persistirem em desenvolverem as suas empresas.

Esse cenário reflete na grande mortalidade das empresas. Segundo pesquisa do SEBRAE no Brasil de cada 100 MPE abertas no Brasil, 73 permanecem em atividade após os primeiros dois anos de existência. Comparando-se na atual fase o índice de sobrevivência das MPE brasileiras é superior ao de países como Espanha (69%), Itália (68%) e Holanda (50%), conforme dados da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Contudo, podemos justificar o aumento de índice de sobrevivência das MPE brasileiras devido ao aquecimento da economia brasileira, a maior sobrevivência das empresas brasileiras deve-se principalmente ao avanço da legislação, o aumento na escolaridade dos empreendedores e o forte crescimento do mercado consumidor interno, apontou o presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barretto, durante o lançamento da pesquisa sobre a sobrevivência das MPEs brasileiras, em outubro de 2011.

André Marques

terça-feira, 9 de julho de 2013

As 8 maiores empresas do Brasil e as 10 maiores do mundo - 2013


Recentemente saiu uma notícia mostrando que o Brasil possui oito empresas entre as 500 maiores do mundo. Infelizmente, oito empresas é um número bastante pequeno para um país que possui uma das maiores economias do mundo. Essa é uma pesquisa anual feita pela revista Fortune. No caso das empresas brasileiras, a de melhor colocação é a Petrobras, que se encontra na 25ª posição, com receita de US$ 144 bilhões e lucro de US$ 11 bilhões. A estatal brasileira caiu duas posições, comparada com o ano passado (2012), onde sua colocação era a 23ª. Atualmente estamos vendo que a situação da Petrobras não é nada boa. Os altos custos e a baixa produção estão fazendo suas ações perderem valor de mercado. Sem contar que a maioria do capital na bolsa brasileira é proveniente do exterior. Os investidores estrangeiros não gostam de empresas que sofrem influencia do governo, como é o caso da Petrobras.

Temos um grande destaque no setor financeiro. Nesse caso a segunda empresa mais bem posicionada é o Branco do Brasil (BB) que ocupa a posição 116ª no ranking. Segundo a pesquisa a receita do BB, em 2012, foi de US$ 72,1 bilhões com um lucro de US$ 5,8 bilhões. A terceira melhor colocação, dentre as brasileiras, ficou para o banco Bradesco, na posição 168ª. Em seguida a Vale na posição 210ª, o frigorífico JBS (275ª), Itaúsa (366ª), a Ultrapar (420ª) e a Companhia Brasileirade Distribuição (CDB) na 449ª posição.

Agora vamos falar de quem está no topo da lista das 500 maiores empresas do mundo. As dez maiores empresas são: 1ª Royal Dutch Shell mais conhecida como a petrolífera Shell, com receita de US$ 481,7 bilhões e lucro de US$ 26,6 bilhões; 2ª Wal-Mart, com receita de US$ 464,2 bilhões e lucro de US$ 17 bilhões; 3ª Exxon Mobil, com receita de US$ 449,4 bilhões e lucro de US$ 49,9 bilhões; 4ª Sinopec (empresa de energia chinesa); 5ª China National Petroleum; 6ª British Petroleum (BP); 7ª a chinesa State Grid; 8ª Toyota Motor; 9ª Volkswagen e na 10ª a petroquímica Total.


Vale ressaltar que a maioria das empresas, nas primeiras posições, são do ramo de petróleo e gás.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Músicas para Ouvir Relaxamento #3

Músicas para Ouvir Relaxamento
Músicas para Ouvir Relaxamento
A palavra relaxamento refere-se ao fenômeno fisiológico de descontração muscular. Essa descontração pode ser alcançada de forma natural ou por ação de medicamentos. Uma das maneiras de obter o relaxamento muscular pode ser a partir de técnicas de relaxamento. Existem diversas técnicas de relaxamento, uma delas é a utilização de músicas. Nesse blog já foi postadas dicas de musicas para aumentar a eficiências nos estudos  (Ver aqui). 

Nessa nova postagem vou apresentar músicas para auxiliar nas atividades de escrita, mudança de estado, estabelecimento de objetivos e visualizações. As músicas estão com links que levam para vídeos no YouTube.

Músicas para Ouvir Relaxamento
Músicas para Ouvir Relaxamento

A música sugerida para “escrever poesia” é a seguinte: December, de George Winston. Essa música é fantástica! Muito relaxante mesmo.

Músicas para mudança de estado: varie a música dependendo dos grupos etários, porém, em geral, qualquer música instrumental ritmada, tal como Switched On Beatles, de Chase na Rocker, para aqueles que cresceram na era dos Beatles; C C Music Factory para os adolescentes de hoje; e música de Elvis Presley para aqueles de uma geração anterior.

Para estabelecer objetivos a musica sugerida é a Chariots of Fire, de Vangelis.

Finalmente as músicas para visualizações (criatividade, imaginação, mentalização etc.), as músicas são: Silk Road, de Kitaro; Sunsets, de Michael Jones, e December, de George Winston.
Músicas para Ouvir Relaxamento

Estas músicas foram selecionadas, sugeridas e testadas por Jeannett Vos em sala de aula. 
Até a próxima.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Porque fico angustiado quando estou em férias?

Trabalho há 15 anos em uma pequena empresa que possui 35 empregados. Iniciei a minha atividade profissional nela. Nesse período ela estava começando e foi um grande desafio. Trabalhei ainda na fase de implantação do projeto. Nós éramos desafiados todos os dias no processo de montagem e início de operação da fábrica. Tivemos que treinar os operários e definir rotinas de operações e manutenção. Assim se passaram 5 anos até a fábrica ficar em plena operação e com a qualidade final dos produtos dentro do especificado.

Nesse período, tanto o gerente quanto todos os outros funcionários da fábrica trabalhavam muito próximos, e com isso foi desenvolvida uma boa capacidade de resolver problemas em grupo. Assim todas as sugestões para solução de problemas eram consideradas, e mesmo cansados e com sobrecarga de trabalho estávamos motivados. Quando falávamos em férias era só no sentido de cumprir as questões trabalhistas e muitos trabalhavam mesmo estado de férias.

Passada essa fase, entramos em operação normal. Muitos dos problemas de relacionamento que não tínhamos na fase de implantação começaram a surgir. Embora as funções estivessem definidas juntamente com as atribuições, identificava-se uma desmotivação quase generalizada. Essa desmotivação estava gerando uma falta de comprometimento. Assim observando, também, se verificava uma centralização das decisões. O chefe era quem decidia tudo. Estava presente em todas as atividades e sempre tomava a iniciativa.

Como as decisões sempre estavam centralizadas no chefe, ele nunca tirava férias. Assim quando um funcionário ia tirar férias era como se estivesse traindo ou fazendo algo errado em se afastar durante um período. Assim o período de férias passou a ser um período de preocupação no andamento do trabalho.
Agora, o trabalho se tornou não mais um ambiente de realização e sim um ambiente de cobrança onde o principal era sempre o trabalho. A minha família já não compreendia mais a razão de tanto esforço e dedicação. Não se tinha mais o reconhecimento, mas sim a presença constante da inibição da possibilidade de usufruir um simples direito, FÉRIAS. Com isso comecei a me perguntar, porque continuar nesse emprego? Então já não aguentava mais tanta pressão e tanta culpa. Culpa de não possuir o direito as férias como um momento de relaxamento, descontração e socialização com amigos e familiares.

Portanto, decidi conversar com o meu CHEFE, informando para ele que já não havia mais espaço para permanência desse modelo de gestão. A empresa já não fazia mais parte do meu sonho de realização. Após tantos anos de conquistas e convivência percebi que o meu CHEFE ficou sensibilizado. Modesta parte, ele não esperava que o mais fiel dos empregados estivesse tão insatisfeito. A pesar de tudo isso, senti que ele ficou agradecido por minha sinceridade.


Na próxima semana continuaremos.

sábado, 29 de junho de 2013

O Facebook Deixa Você Menos Feliz

o facebook deixa você menos feliz

E ai pessoal tudo bem? Hoje vou discutir sobre algo polêmico. Foram feitas várias pesquisas e foi descoberto que o Facebook deixa você menos feliz. Que coisa estranha não? Você imagina o porquê desse resultado? Em setembro do ano passado (2012) a revista superinteressante publicou uma matéria comentando esse fato. À medida que a rede social vai ganhando mais popularidade fica mais fácil para os pesquisadores justificarem essa afirmação.

Segundo a professora de estudos sociais do instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), Sherry Tucker, as pessoas apresentam uma imagem editada perfeita de si mesmas nas redes sociais. Isso de fato é verdade uma vez que escolhemos as melhores fotos, nos melhores ângulos e ainda modificamos (por exemplo no Photoshop), pra melhorar nossa autoimagem. Esse tipo de marketing pessoal, nos torna pessoas mais artificiais em vários sentidos. Por exemplos, estamos criando uma imagem idealizada de nós mesmos, e ao mesmo tempo ficando tristes porque na verdade não somos como desejaríamos que fossemos. Infelizmente, na maioria das vezes, essa visão idealizada de nossa imagem continua mesmo quando não estamos utilizando o Facebook. No entanto quando nos damos conta da realidade aparecem os primeiros sintomas da tristeza e depressão.

Alguns psicólogos da Universidade Stanford, nos EUA, pediram a avaliação de 80 estudantes quanto às emoções de seus colegas durante duas semanas. Os resultados da pesquisa mostraram que a maioria dos voluntários subestimaram a tristeza e superestimaram a alegria de seus amigos. Em outras palavras foram enganados pela “maquiagem” dos usuários no Facebook. “É razoável supor que postar no Facebook, onde as pessoas têm completo controle sobre a imagem que projetam, possa contribuir para esses erros de percepção emocional”, diz o psicólogo Alexander Jordan, um dos autores da pesquisa.

o facebook deixa você menos feliz

Em outro contexto, as redes sociais podem provocar efeito contrário e melhorar a vida de quem usa. Existem estudos mostrando que a utilização de redes sociais como, o Facebook, twitter, dentre outros, aproximam as pessoas aumentando o ciclo de contatos e amizades. Segundo a matéria da superinteressante uma pesquisa da universidade de Toronto constatou que hoje as pessoas têm mais amigos do que a dez anos. Isso de certa forma é uma coisa boa. Mesmo que seja de maneira virtual as pessoas mantém um relacionamento contínuo que é bastante enriquecedor do ponto de vista pessoal, familiar e profissional.

Uma coisa é certa, ainda estamos no início de tudo isso e tem muita coisa pra ser mudada e ampliada. Em um futuro próximo saberemos com mais segurança e exatidão os efeitos dessa nova forma de convivência e exposição no ambiente das redes sociais. Então não há porque se preocupar se o Facebook nos deixa ou não mais tristes. O importante mesmo é fazer as coisas como pensamos e viver de forma consciente. Aqui fica uma dica: devemos sempre buscar melhorar e aumentar nossas forças e reduzir ou eliminar nossas fraquezas. Tudo isso de forma continuada e cíclica porque é assim que nossas vidas funcionam.


Até a próxima J!

sábado, 22 de junho de 2013

Porque Não Consigo Tirar Férias?

porque não consigo tirar ferias
Porque não consigo tirar ferias?
Desabafo de um empreendedor de sucesso.

Sou empresário há 15 anos. Tenho uma pequena empresa que construí a partir de visualização de uma oportunidade. Na ocasião tive muito mais coragem do que racionalidade. Uma vez decidido, arregacei a manga para transformar o meu sonho, onde investi tudo que tinha, em realidade. Na verdade se não desse certo eu não sei como seria daí para frente.

Naquela época havia trabalhado em uma empresa que não tinha nada a haver com o que faço hoje. Quando achava que as coisas andavam bem fui demitido em um momento que estava difícil encontrar emprego. Como eu tinha pouco estudo não conseguia me recolocar no mercado de trabalho. Daí como já tinha vontade de fazer algo para mim, tive a ideia de colocar uma pequena fabrica, de produtos que não fossem caros, mas que fossem muito consumidos e que não fossem estocáveis.  Por instinto ou intuição ou destino fiz a escolha por algo que acreditava que daria certo e lá estaria a minha realização.

Após esses anos todos reconheço que trabalhei e trabalho muito todos os dias. Sou o primeiro a chegar e sempre o último a sair. Preocupo-me com todo da minha empresa. Como vai a produção, como estão as vendas, como vão as compras, os fornecedores, os clientes, as finanças, os impostos em fim tudo.

Tenho dificuldade quando é necessário contratar um funcionário novo, decidir sobre ampliar ou não ampliar a produção, se coloco mais pessoas nas vendas ou se continuo com os meus antigos clientes. Vejo que atingi certo nível de vendas que garante a minha sobrevivência, porém por vezes tenho que tomar empréstimo para pagar o décimo terceiro dos funcionários.

Algumas vezes não consigo assumir contratos por ter capacidade de produção abaixo do exigido para o prazo dado.  Assim com todas essas dificuldades, durante todo esse tempo, não consegui tirar férias e sou um ausente para minha família. Entretanto, não consigo resolver essas questões que me afligem, e não sei passar um dia sem ter que trabalhar muito.  

Parei para pensar e então descobri que teria de buscar uma ajuda externa. Um consultor que trouxesse orientação para chegar as soluções dos meus problemas. O fato que para tomar essa decisão precisei ser ameaçado por minha esposa e filha de viver o resto da minha vida sozinho. Assim, mesmo sem querer, pois, minha experiência ao longo desse período com consultorias não foi muito boa. Quase sempre essas pessoas chegavam com soluções mirabolantes, apenas prometiam coisas, e levam meu dinheiro sem me dar nenhum resultado.

Mudei minha estratégia. Dessa vez tinha que dar certo. Tudo agora passou a ser uma questão de sobrevivência. De um lado eu tinha a minha empresa e do outro a minha família. E agora o que fazer? Eu estava decidido que não queria perder nenhum dos dois. Então pesquisei no mercado e encontrei uma empresa de consultoria que tinha que fornecia soluções mais simples e possíveis de serem aplicadas na minha empresa. Eu era capaz de reconhecer e que gostaria de ter na minha empresa funcionando de maneira organizada e sustentável. Foi daí que reconheci o quanto perdi em não ter procurado antes a ajuda certa.

porque não consigo tirar ferias
Família e Empreendedorismo

Hoje já não preciso ficar até tarde, tiro férias e viajo com a família, já não tenho que fazer empréstimos para pagar o décimo dos empregados. Estou mais feliz.  Tudo isso, não foi e não faz parte de nenhum milagre, chegamos a isso através de muito trabalho. Digo chegamos porque hoje os resultados obtidos na minha empresa já não são só meus. Compreendo que é resultado de todos, e essa foi a coisa mais importante que aprendi com a ajuda externa.

Espero que tenha gostado do início dessa história de empreendedorismo. Mais detalhes do que fizemos vamos contar nas nossas próximas postagens. Até mais J!

terça-feira, 4 de junho de 2013

A estratégia é tudo

a estratégia é tudo
A estratégia é tudo

Oi pessoal. Hoje vou contar uma historia pra você mostrando o poder da utilização de estratégias especificas para atingir nossos objetivos. Primeiro vamos a algumas discussões sobre estratégia.

O processo de gestão estratégica é dinâmico e, portanto, precisa ser revisado e modificado com frequência. À medida que as mudanças nas atividades que realizamos acontecem, é preciso que se faça um realinhamento estratégico antes de prosseguimos com nossas decisões. Assim, antes de mais nada, vamos definir o que é estratégia só para lembrar. Segundo Mintzberg, estrtégia, trata-se da forma de pensar no futuro, integrada no processo decisório, com base em um procedimento formalizado e articulador de resultados. Dando uma olhada no Wikipédia (Sobre estratégia) - A palavra estratégia vem do grego antigo stratègós (de stratos, "exército", e ago, "liderança" ou "comando" tendo significado inicialmente "a arte do general"). Portanto estratégia é algo nos ajuda a tomar decisões específicas para alcançarmos os melhores resultados.

Pensar de maneira estratégica envolve esforços de fora para dentro, ou seja, ao percebermos o ambiente temos que fazer ajustes e direcionar nossas atenções para as ações mais eficientes e eficazes buscando minimizar as incertezas presentes nesse ambiente.

A boa comunicação é extremamente indispensável para a implementação de alguma estratégia. Sem a comunicação adequada não chegaremos a lugar algum. Uma estratégia bem comunicada funciona como uma alavanca para as melhores ações a serem tomadas, desde que se esteja trabalhando em equipe. O nosso comprometimento e envolvimento em prol da execução de algumas estratégias facilita a identificação de possíveis mudanças e refinamentos necessários ao bom andamento das ações que estão sendo e que serão tomadas.

E como tudo no mundo está conectado, empreender é a palavra mágica que fortalece todo o planejamento estratégico. Não devemos ficar focados apenas nos acontecimentos rotineiros e já esperados, precisamos sim, em todo momento, correr riscos calculados.

Aqui vai um exemplo que mostra o quanto a estratégia é importante para conseguirmos atingir nossos objetivos. Vejam se vocês conseguem identificar as incertezas e os riscos desse pai maluco.

A estratégia é tudo
Estratégia para casamento

                                                                A estratégia é tudo
Pai: Filho. Quero que você se case com uma moça que eu escolhi.
Filho: Mas pai, eu quero escolher a minha esposa.
Pai: Meu filho, ela é a filha do Bill Gates.
Filho: Bem nesse caso eu aceito.

Então o Pai (negociador) vai encontrar o Bill Gates.
Pai: Bill, eu tenho o marido para sua filha.
Bill Gates: Mas a minha filha é muito jovem pra casar.
Pai: Mas o jovem é vice-presidente do Banco Mundial.
Bill Gates: Nesse caso tudo bem.

Finalmente o Pai (negociador) vai ao Presidente do Banco Mundial.
Pai: Sr. Presidente, eu tenho um jovem que é recomendado para ser vice-presidente do Banco Mundial.

Presidente do Banco Mundial: Mas eu já tenho muitos vice-presidentes, inclusive mais do que o necessário.
Pai: Mas Sr., este jovem é genro do Bill Gates.
Presidente do Banco Mundial: Neste caso ele está contratado.

Moral da história: Não existe negociação perdida. Tudo depende da estratégia utilizada.
                                       (História obtida das notas de aula do prof. Paulo Modenesi Martins)

Perceberam o poder de uma estratégia bem feita! O pai todo sabichão conseguiu casar o filho com a filha do Bill Gates e ainda arranjou de quebra um mega emprego para o guri. Isso é o que é uma estratégia boa, não é verdade? :)

Espero que tenha gostado da história.
Até a próxima.

sábado, 1 de junho de 2013

Gestão de Riscos

gestao de riscos
Gestão de Riscos

Olá pessoal. Hoje irei comentar sobre uma das principais atitudes do homem moderno, que é a gestão de riscos. Há quem diga que um dos elementos que caracteriza o homem como ser racional e moderno é a habilidade de gerenciar riscos sejam eles quais forem. Portanto, desde sempre, para o nosso desenvolvimento e crescimento, fomos e somos obrigados a enfrentar ou encarar os riscos no meio em que vivemos.

Por sua vez gerenciar riscos está relacionado com o processo de planejamento, organização, direção e controle de recursos sejam eles humanos ou materiais.

No geral riscos são desvios do esperado em situações de incertezas. Os riscos quando negativos podem ser chamados de ameaças, já os riscos positivos podem ser chamados de oportunidades. O mundo em que vivemos é isso: um mar de ameaças e oportunidades. Portanto temos que identificar e aproveitar as oportunidades e ficar bem atentos e preparados para as ameaças existentes e potenciais. As incertezas do aparecimento das ameaças e oportunidades nos fazem mais cuidadosos e preparados.

Tudo na vida apresenta incertezas. Nesse mundo a única certeza que temos é a da morte (que atualmente é inevitável, não é verdade?). As incertezas são as fontes causadoras dos riscos. Algo engraçado é que nossa percepção de risco geralmente não está associada com incertezas. 
Por exemplo, vajamos o seguinte dilema:

Se você estivesse em um avião, sobrevoando uma área de terra, a uma altura significativa para uma queda livre sem chance de sobrevivência, e uma pessoa fizesse as seguintes perguntas a você: em que situação você estará correndo mais riscos? (a) você salta desse avião sem utilizar um paraquedas e nenhum outro equipamento que proteja da queda ou (b) se você saltar utilizando paraquedas adequados e alguns outros equipamentos de sobrevivência.

Gestão de riscos
Gestão de Riscos
Qual dessas alternativas de salto (“a” ou “b”) apresenta mais riscos pra você?
Se você escolheu a alternativa (b) como a mais arriscada, fez a escolha certa. Nesse caso você lembrou da relação entre riscos as incertezas. O que quero dizer com isso? Se fosse escolhida a alternativa (a) já teríamos total certeza do que iria acontecer com você, nesse caso a morte seria inevitável e certa. Portanto não há incertezas, mas sim a certeza de morte ao saltar do avião. Por outro lado, o salto na condição (b) está relacionado a várias incertezas, como a falha no acionamento do paraquedas, você pode entrar em pânico e não conseguir abrir na hora certa o paraquedas, as condições do vento podem atrapalhar, dentre outros. Nesse caso temos várias incertezas e, portanto, existem riscos no processo.

Deu pra entender, mais ou menos, o conceito de risco? Isso é muito importante para o processo de gestão dos riscos. Não se pode gerenciar o que não se conhece bem, não é verdade?

Em futuras postagens irei apresentar algumas ferramentas de gestão de riscos que podem ser aplicadas nos nossos negócios e até nas nossas vidas pessoais. Sabemos que toda forma de conhecimento tem que ser ampla, com a finalidade de aumentar o desempenho das nossas atividades sejam elas profissionais ou pessoais, e melhorar a nossa qualidade de vida.

Espero que tenham gostado J.

Até a próxima!

quarta-feira, 29 de maio de 2013

O que é Cauda Longa?

o que é cauda longa
cauda longa

Oi pessoal, tudo bem? Hoje irei discutir sobre algo bastante importante para se entender várias coisas que acontecem ao nosso redor.

No corre-corre do mundo da internet sempre nos deparamos com alguns termos com nomes engraçados e aparentemente sem muito sentido.  Por exemplo, a palavra cauda longa que vem sendo utilizada com frequência no mundo da internet e empresarial. Por isso que decidi escrever essa postagem que tenta apresentar algumas informações e esclarecer dúvidas a respeito do que é cauda longa.

Vamos iniciar com as informações da maior enciclopédia digital do mundo, o site Wikipédia. Segundo informações desse site, cauda longa (do inglês long tail), foi popularizada por Chris Anderson em um artigo na revista Wired em outubro de 2004. Cauda longa é um termo utilizado na Estatística para identificar distribuições de dados como a curva de Pareto, onde o volume de dados é classificado de forma decrescente.

Pra quem não está familiarizado com alguns desses termos, isto é quem não gosta muito de matemática e estatística J (que não há nenhum problema nisso), vou explicar melhor. Começando com mais informações sobre a curva de Pareto conhecida também como curva 80-20, ou seja, 80% dos efeitos de uma determinada causa resultam em apenas 20% dos efeitos observados, ou vice versa. 
Um exemplo da nossa vida: se pararmos para pensar 80% de todo o nosso sucesso financeiro, amoroso, familiar, dentre outros, foram alcançados praticamente com escolhas de apenas 20% do total de alternativas que estava a nossa disposição (nesse caso as alternativas melhores para o nosso perfil). Isso quer dizer que são com poucas decisões corretas (ex.: 20 em um total de 100) que conseguimos a maioria dos nossos resultados bons. Isso é uma coisa boa, porque na nossa vida basta fazermos algumas “coisas certas” (pelo menos 20%) para que 80% de todo o nosso sucesso seja proveniente dessas “coisas certas”. Por outro lado, pode ser ruim, porque se escolhermos 20% de decisões “erradas”, isso já é suficiente para que as nossas vidas fiquem 80% prejudicada e mais difícil. Infelizmente isso pode acontecer, não é verdade?

o que e cauda longa?

Esse tipo de conceito é muito interessante e, ao mesmo tempo, importante para podermos ficar cientes e cautelosos com as nossas decisões. Sempre estamos diante de uma infinidade de alternativas e decisões a serem tomadas e, de acordo com o princípio de Pareto, escolhendo e tomando apenas 20% das alternativas e decisões “certas”, nossa vida já está 80% ajustada e bem encaminhada para o sucesso, seja qual for o conceito de sucesso para você.  

Em futuras postagens irei discutir mais sobre o que é cauda longa, e quais as implicações em várias situações e seguimentos, como: internet, riqueza, disseminação de informações, economia, vendas, marketing, dentre outros.

Espero que tenham gostado das informações. Vamos sempre ficar de olho nas escolhas que fazemos, pois como foi apresentado, apenas 20% delas podem direcionar nossas vidas tanto para o sucesso quanto para o fracasso.


Até a próxima!

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Aprendendo a lidar com Erros

Aprendendo a lidar com erros
Aprendendo a lidar com erros

Oi Pessoal! Hoje vou apresentar mais outra reflexão. Nós empreendedores sempre temos um planejamento e monitoramento sistemático de nossos atos e comportamentos frete aos nossos investimentos, mas isso não nos impede de cometer erros e ficarmos sem respostas para várias coisas. Por isso o texto abaixo:

O Jovem noviço Also e o vivido monge Guilherme:

- Então, não tendes uma única resposta para nossas perguntas?
- Adolso, se a tivesse ensinaria teologia em Paris.
- Em Paris têm sempre a resposta verdadeira?
- Nunca, – disse Guilherme – mas estão muito seguros de seus erros.
- E vós – disse o jovem com pertinência infantil – nunca cometeis erros?
- Frequentemente, respondeu, mas ao invés de conceber um único erro imagino muitos, assim não me torno escravo de nenhum.

O Nome Da Rosa ( Umberto Eco)

Achar que possuímos as respostas inteiramente corretas para nossas perguntas é um erro tão grave quanto achar que apenas um único erro cometido foi causador de alguns dos nossos fracassos. Contudo, as respostas verdadeiras demoram muito para serem respondidas e os erros cometidos em busca dessas respostas são incontáveis.

Aqui fica a reflexão. Espero que tenham gostado e até a próxima.

quinta-feira, 23 de maio de 2013

Empreendedorismo e Educação


empreendedorismo e educação

Educação em geral e empreendedorismo são duas coisas que devem sempre andar juntas. Primeiro porque educação é o desenvolvimento como um todo do indivíduo, ou seja, corpo, mente, alma, emoções, pensamentos, saúde, expressões, raciocínio, conhecimentos dentre outros. Tudo com a pretensão de melhorar a pessoa a serviço de seu protagonismo e autonomia no ambiente em que vive, bem como, sua integração harmônica e construtiva com a sociedade. Segundo porque o empreendedorismo se constitui em um conjunto de hábitos e comportamentos que podem ser adquiridos, praticados, compartilhados e reforçados no indivíduo. Nesse sentido a educação é indispensável para a capacitação adequada, que possibilita que nós, empreendedores, possamos aproveitar as oportunidades e sempre está melhorando o processo de aprendizagem e inovação no nosso plano de vida e consequentemente nos nossos empreendimentos.

Dessa forma, empreender nada mais é do que fazer algo inovador, algo criativo, com o objetivo de criar riqueza para si, e para a sociedade ao seu entorno. Assim, empreender é muito mais do que ter vontade de chegar ao topo de uma montanha é conhecer bem essa montanha sempre buscando informações a seu respeito, estando ciente, em todo momento, do tamanho do desafio da escalada. Algo que é indispensável é o planejamento de cada detalhe da subida, sabendo tudo o que é preciso levar para ajudar e garantir o sucesso da subida. Encontrar o melhor caminho de subida é a estratégia que todos devem adotar, sempre estando comprometidos com os resultados, com a persistência, preparação e consciência dos riscos, acreditando sempre na própria capacidade de começar e recomeçar a escalada caso algo dê errado.

Nossa vida é um ciclo e como somos empreendedores somos viciados e apaixonados por conhecimento e, portanto, a educação é nossa aliada para o sucesso das nossas inúmeras escaladas, ou seja, nosso crescimento como pessoas e empreendedores. Somos educados para isso e, portanto, aprendemos e empreendemos, reaprendemos e empreendemos, aprendemos e reaprendemos e até os nossos últimos dias seremos sempre empreendedores.

Espero que tenham gostado do texto J
Até a próxima.

quarta-feira, 22 de maio de 2013

O Surgimento de Grandes ideias – Brainstorming



Olá pessoal! Hoje vou discutir sobre uma ferramenta muito importante e interessante, utilizada no mundo corporativo para se conseguir grandes ideias e solucionar problemas complexos. A ferramenta que me refiro chama-se Brainstorming (tempestade de ideias), que é mais do que uma técnica de dinâmica de grupo, é uma atividade desenvolvida para explorar a sinergia de uma equipe.

Basicamente o Brainstorming possui três grandes partes: encontrar os fatos, gerar as ideias e encontrar as soluções. Seu funcionamento segue algumas premissas básicas, que são:
Primeiro define-se o problema que necessita de solução, depois seleciona-se um grupo de 6 a 12 pessoas. Esse grupo de pessoas começa a sugerir soluções diversas para o problema definido. As soluções sugeridas devem ser livres de criticas, ser criativas e em grande quantidade, com o objetivo de encorajar a geração de ideias adicionais para a construção e reconstrução sobre as ideias dos outros. Esse é um exemplo de ferramenta que utiliza o poder da cooperação de pensamentos. Os resultados são surpreendentes.

Podemos utilizar a ferramenta de mapas mentais para auxiliar no processo de brainstorming. Para mais detalhes sobre Mapas Mentais ver postagem - Mapas Mentais.
Não vamos esquecer que as grandes ideias não nascem prontas, muito pelo contrário: quando surgem, são conceitos ainda em sua infância, que prometem muito, mas ainda não conseguem ficar em pé sozinhas. O próximo passo então é colocar as ideias em prática e monitorar o seu crescimento e desenvolvimento.

Este é um exemplo de que as ferramentas que fazem uso do potencial de uma equipe são tendências para utilização na nova era de comunicação e disseminação de informações sem fronteiras de tempo e espaço. Isso porque duas ou mais pessoas pensando juntas vale mais do que milhares de pessoas pensando separadamente, esse é o efeito sinérgico da coisa.

Em breve o brainstorming será uma das ferramentas mais utilizada pelas grandes corporações geradoras de conteúdos realmente relevantes para humanidade. 

Espero que tenham gostado das informações. Qualquer coisa, você está convidado a deixar algum comentário.

Até a próxima J!

terça-feira, 21 de maio de 2013

Para Reflexão #1

para reflexao
Para reflexão

Oi Pessoal. Hoje trago uma reflexão muito interessante que pode ser útil para todos nós que vivemos imersos nesse mundo tão agitado e cheio de informações que é a internet. Sempre estamos em busca de mais e algo melhor, contudo é preciso cuidado para não acabar como o cachorro da parábola abaixo. Deem uma conferida:

“Um cachorro atravessava um rio, a nado, com um maço (pedaço) de carne na boca, quando viu, de baixo de si, um outro cachorro, nadando no mesmo ritmo, com um pedaço de carne ainda maior que o seu. Não lhe passou pela cabeça que o cão subaquático fosse apenas a projeção de sua própria imagem. Possuído pelo desejo de abocanhar o pedaço maior, mergulhou na direção da sombra, perdeu ambos os bocados. Um porque simplesmente não existia, e o outro, porque foi levado pela correnteza.”

Deu pra refletir um pouco? Gostou? Então compartilhe no facebook ou twitter!
Obrigado e até a próxima.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Como elaborar Mapas Mentais


Oi pessoal. Venho hoje mostrar uma técnica ou ferramenta muito interessante e eficaz para auxiliar a nossa compreensão e fixação de assuntos ou conceitos complexos, que se chama: Mapas Mentais. Essa técnica realmente funciona uma vez que segue a mesma estrutura de armazenamento de informações do nosso cérebro. Quando criança nós fomos instruídos a escrever ou anotar as coisas de forma linear em um caderno. Com o passar dos anos os pesquisadores descobriram que a melhor maneira de fazer anotações para ajudar na memorização e compreensão é a partir de um mapa mental, ou seja, informações postas em paralelo e não linear. Portanto os métodos de ensino tradicionais são arcaicos. Dezenas de alunos de todo o mundo estão fazendo anotações agora, escrevendo palavras linha por linha. No entanto, o cérebro não funciona dessa forma. Nós não armazenamos informações em colunas ou linhas bem feitas, mas sim em dendritos com disposição semelhantes a uma árvore. Assim o cérebro guarda mais facilmente informações por padrão e associação.

 Então porque não fazer anotações, ou seja, fazer um repositório de informações da mesma maneira que nosso cérebro faz. Para isso que utilizamos os Mapas Mentais. A técnica de elaboração de Mapas Mentais foi criada por TonyBuzan. Esse mesmo autor publicou um livro intitulado The Mind Map Book – Radian Thinking que é uma boa sugestão de leitura.

Vejam um exemplo da utilização de um Mapa Mental, criada por Tony Buzan e desenhada por Nancy Marqulies:
Mapas Mentais
Exemplo de Mapa Mental

1. O tema principal é sempre colocado no centro.

2. Sempre há um ramo principal para cada subtema.

3. Palavras simples são usadas e mais indicadas para cada conceito.

4. Onde possível cada conceito pode ser representado por um desenho ou imagem. 


A utilização por 30 minutos dos Mapas Mentais é um método muito interessante para quem necessita aprender e memorizar uma grande quantidade de informações e conceitos.

Espero que tenham gostado da postagem J

Em breve estarei gravando um vídeo mostrando como eu utilizo Mapas Mentais nos meus estudos e anotações. Até mais!


Músicas para relaxamento e aumentar a produtividade #2



Olá! Olha eu aqui de novo colocando mais uma postagens sobre músicas com fantástico poder de relaxamento. Hoje vou sugerir músicas que acho indiscutivelmente fantásticas.

Nesse caso as dicas serão para: aumentar a cooperatividade e aprendizagem em grupo e fazer agrupamento em redações rápidas.

1º) Para aumentar a cooperatividade e aprendizagem é indicada a música Deep Breakfast de Ray Lynch; Pode ser encontrada no link (Deep Breakfast)

2º) Para fazer agrupamentos em redações rápidas são indicadas as seguintes músicas: Antarctica, de 
Vangelis (Antarctica); ou Brazilian do álbum Invisible Touch, de Genesis (Brazilian). Podemos utilizar essas músicas para escrever postagens para nossos blogs.

Façam uso dessas músicas e vocês verão os surpreendentes resultados. Depois voltem aqui para postar um comentário, tudo bem? J

Em futuras postagens irei separar uma coleção de músicas que ajudam na escrita de poesias e facilitam a mudança de estados de comportamento.
Até a próxima

domingo, 19 de maio de 2013

Menos horas de trabalho e novas oportunidades para as mulheres



Acabou aquele tempo em que tínhamos que trabalhar oito horas por dia durante cinco a sete dias por semana. Para os profissionais de alto cargo de gerência como os executivos, as empresas estão apostando em trabalhos de meio período. Essa é uma notícia recente publicada pela BBC Brasil.

E a pergunta que fica é a seguinte: É possível trabalhar menos horas e ter sucesso profissional?

Segundo o professor Cary Cooper, especialista em psicologia organizacional e saúde na Escola de Administração da Universidade de Lancaster, na Grã-Bretanha, existem grandes evidências de benefícios de se trabalhar meio período.

"As provas são claras de que quando as pessoas podem trabalhar com flexibilidade você consegue o máximo delas. Há mais satisfação no trabalho e elas são mais produtivas", diz Cary Cooper.

O professor Cary Cooper diz, também, que há um tipo de administrador - geralmente mais velho e homem - que enxerga o trabalho flexível como um sinal de que a pessoa não está comprometida. Isso pode criar uma percepção de que o funcionário não está 'fazendo um bom trabalho' e afetar suas perspectivas de promoção
No entanto, ele afirma que a pergunta a fazer deve ser: 'Eles produzem?'. As pessoas precisam ser julgadas não por quantas horas elas trabalham no escritório, mas o que elas fazem. Isso sim é importante a produtividade e eficiência das pessoas.

"Acho que estamos perdendo muitos talentos, especialmente mulheres, que não estaríamos se as empresas fossem mais flexíveis", afirma. As mulheres geralmente possuem mais obrigações familiares do que os homens.

Temos alguns exemplos de grandes executivas que trabalham poucas horas por semana, como: Belinda Earl que só trabalhará dois dias na semana na Marks and Spencer, e a nova vice-presidente do Facebook, Nicola Mendelsohn, que será a chefe da empresa na Europa, no Oriente Médio e na África, e deve trabalhar quatro dias por semana - como já faz como diretora da agência de publicidade Karmarama.

Pois bem, a flexibilização nas horas de trabalho é um grande aliado principalmente para aumentar a entrada de mulheres no mercado de trabalho. As pesquisas mostram que as mulheres geralmente possuem mais qualificação do que os homens. Portanto temos que oferecer oportunidades para elas.

Espero que tenham gostado das informações.
Até a próxima.

sábado, 18 de maio de 2013

O empreendedor Inteligente



Oi pessoal! Hoje irei comentar sobre os tipos de inteligência mais importantes que um empreendedor de sucesso deve possuir. O número de inteligências que possuímos varia de pesquisador para pesquisador. No entanto, aqui, estaremos considerando apenas sete tipos de inteligências, que são: linguística, lógica ou matemática, musical, espacial ou visual, cinestética, interpessoal e intrapessoal. 

O empreendedor inteligente é aquele que faz o melhor uso das sete inteligências básicas que possui. Nesse caso fazer melhor uso, é possuir ou desenvolver habilidades e competências acima da média para algumas dessas inteligências. Por exemplo, duas dessas inteligências são bastante valorizadas na educação tradicional, que são: a inteligência linguística relacionada com a nossa capacidade de ler, escrever e de comunicação através das palavras e a inteligência lógica ou matemática ligada a capacidade de cálculo e raciocínio quantitativo. O empreendedor de sucesso, desse novo século, deve ser diferenciado nessas duas inteligências e em mais outras três, que são: a inteligência espacial ou visual que, nesse caso, é muito importante para auxiliar nas estratégias de marketing; a inteligência interpessoal, ou seja, a capacidade de relacionar-se com outras pessoas; e por fim, mas não menos importante, a inteligência interpessoal, também, chamada de inteligência introspectiva em outras palavras é a capacidade de conhecer a si mesmo – esse tipo de capacidade fornece grande intuição para algumas pessoas, permitindo-lhes o acesso a grandes quantidades de informações armazenadas em sua mente subconsciente.

Contudo, nós empreendedores devemos praticar e buscar atividades que melhorem e fortaleçam esses tipos de inteligências. Vale deixar claro que dependendo do tipo de seguimento que o empreendedor atua outras inteligências possam possuir maior importância e outras menos. Aqui estamos considerando um empreendedor de modo geral e, resumindo, as principais inteligências em ordem decrescente de importância, são: intrapessoal, interpessoal, linguística, lógica e visual. Essa ordem de importância é de minha opinião, caso discorde, estou aberto a discussões J.

Espero que tenham gostado da postagem.
Até apróxima J

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Características dos Empreendedores



Oi pessoal, hoje irei discutir sobre algumas características de pessoas empreendedoras. É bom ficar de olho nelas, porque essas características são indispensáveis para se ter sucesso nos negócios e, também, hoje em dia as empresas estão contratando mais os profissionais que possuem essas características. Acabou aquela época em que havia uma separação entre o empreendedor, ou seja, dono de um negócio e funcionário de uma empresa. Agora esses dois perfis se confundem. Atualmente, a grande maioria das empresas exigem que seus profissionais tenham um perfil empreendedor.
Aqui vão sete das principais características de um empreendedor:

1 - Consegue com facilidade transformar ideias em realidade;

2 - É um bom identificador de oportunidades;

3 - Consegue contagiar as pessoas em volta com suas ideias;

4 - São pessoas comprometidas e persistentes;

5 - Sabem buscar informações nos lugares certos e conseguem estabelecer metas e objetivos claros e bem definidos;

6 - Está sempre pronto para assumir riscos controlados e aprender com os erros.

7 -São pessoas independentes e autoconfiantes.

Essas são algumas das principais características de um bom empreendedor. Caso você não possua algumas delas não se preocupe que existem técnicas e exercícios que nos ajudam a ganhar tais características. Em futuras postagens estarei mostrando algumas dessas técnicas e exercícios para desenvolver o comportamento empreendedor.
Espero que tenham gostado das informações e até a próxima.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Como Ler Superficialmente Um Livro?

Oi pessoal, hoje irei apresentar algumas dicas para agilizar a sua leitura em livros. Nesse caso para ler livros superficialmente. Em geral esses conselhos aplicam-se à leitura de livros de não-ficção, ou seja, aqueles que são mais direcionados a tentam passar alguma informação ou conhecimento relativo a um objetivo específico.

As sugestões para ler superficialmente um livro são as seguintes:

1- Tente primeiro definir que informações você está buscando.
2 – Então, coloque o livro a cerca de cinquenta centímetros de seus olhos (longe o bastante para ver toda a página);
3 – Passe seu dedo indicador no centro da página, com os olhos fixando-se exatamente acima da ponta de seu dedo.
4 – Mova o dedo tão depressa que não tenha tempo de parar em cada palavra e pronunciá-la para si mesmo.

Ficam ai as dicas. Você conhece alguma técnica para aumentar a velocidade de leitura? Fico aberto a comentários.
Rafael